Nutrição 

CALORIAS

Vamos falar agora sobre calorias.
Uma pesquisa feita pelo Ministério da Saúde confirmou que a obesidade está crescendo entre crianças e jovens. Segundo o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, a incidência maior ocorre em pessoas com menos escolaridade porque elas têm menos informação e menos renda para fazer escolha por alimentos mais saudáveis.
Mas, essa escolha começa por uma leitura detalhada do rótulo.
Quando a gente lê uma tabela em um produto, vemos que o recomendado hoje, no Brasil, para uma pessoa adulta são 2,5 mil calorias por dia.

Fazer o cálculo das calorias de cada alimento é um primeiro passo para evitar problemas de saúde. Outra dica é comer alimentos menos calóricos.

Segundo a nutricionista Renata Padovai, pesquisadora do Núcleo de Estudos em Alimentação da Unicamp, a universidade está fazendo uma nova tabela dos valores nutricionais dos alimentos, que inclui as calorias, para servir de guia para todo mundo que trabalha com alimentação.
O projeto Taco (Tabela Brasileira de Composição de Alimentos) poderá servir de apoio para estudos que relacionam a dieta aos riscos de doenças, na agricultura, indústrias de alimentos, para o desenvolvimento de novos produtos, etc.
Foram selecionados 198 alimentos, divididos em: cereais e derivados, verduras e hortaliças, legumes, frutas, pescados, carnes, leite e derivados, alimentos açucarados, e miscelâneas, como temperos com sal, gelatina e café em pó.
O próximo passo será fazer o levantamento de outros 270 produtos.

Entenda melhor as informações:
- Calorias: é a energia que vem dos alimentos. São calculadas a partir da quantidade de gorduras, proteínas e carboidratos presentes nos alimentos. O número que cada pessoa precisa depende da idade, do peso, da altura, da atividade física, do estado fisiológico, do estado de saúde, e do gênero (masculino ou feminino).
- Carboidratos: fornecem parte da energia para o crescimento, desenvolvimento e manutenção da nossa saúde. Estão presentes, principalmente, em massas, arroz, açúcar, mel, pães, frutas, farinhas, tubérculos e doces em geral.

- Proteínas: compostos necessários para a construção dos tecidos, órgãos, células. Podemos encontrá-las nas carnes, ovos, leites e derivados e feijões.

- Gorduras/gorduras saturadas: podem ser de origem vegetal ou animal. Estão presentes em óleos vegetais, manteiga, queijo, carnes, leite, ovos e pães entre outros alimentos.

- Fibras: a ingestão de fibras diminui o risco de doenças do coração, câncer de intestino, diabetes e hemorróidas. Possuem diversas propriedades que resultam em diferentes efeitos fisiológicos. Homens devem consumir 38g/dia e as mulheres entre 19 e 50 anos, 25g/dia, segundo o Institute of Medicine.

- Cálcio: micronutriente importante para a manutenção e crescimento dos ossos e dentes. Encontramos em leites, queijos, iogurtes, peixes (sardinha).

- Ferro: essencial para a formação das células vermelhas do sangue prevenindo um tipo de anemia. Carnes, feijões e vegetais de folhas verde-escuras são exemplos de alimentos ricos em ferro.

- Sódio: Deve ser consumido na quantidade certa. É encontrado no sal. Seu consumo excessivo pode levar uma pessoa a desenvolver pressão alta, doenças cardiovasculares e renais. O ideal é, no máximo, 480mg por porção ou menos de 2400 mg por dia.

Mais informações no site www.unicamp.br/nepa/taco

voltar para o índice