Hora Silenciosa 

Leia · Medite · Memorize · Aplique · Compartilhe

Salmos 29.1-11
1 Atribuam ao Senhor, ó seres celestiais, atribuam ao Senhor glória e força.  2 Atribuam ao Senhor a glória que o seu nome merece; adorem o Senhor no esplendor do seu santuário.  3 A voz do Senhor ressoa sobre as águas; o Deus da glória troveja, o Senhor troveja sobre as muitas águas.  4 A voz do Senhor é poderosa; a voz do Senhor é majestosa.  5 A voz do Senhor quebra os cedros; o Senhor despedaça os cedros do Líbano.  6 Ele faz o Líbano saltar como bezerro, o Siriom como novilho selvagem.  7 A voz do Senhor corta os céus com raios flamejantes.  8 A voz do Senhor faz tremer o deserto; o Senhor faz tremer o deserto de Cades.  9 A voz do Senhor retorce os carvalhos e despe as florestas. E no seu templo todos clamam: "Glória! "  10 O Senhor assentou-se soberano sobre o dilúvio; o Senhor reina soberano para sempre.  11 O Senhor dá força ao seu povo; o Senhor dá a seu povo a bênção da paz.

Comentário:

Deus é poderoso e Senhor das tempestades. Este é o tema que Davi retrata nesse salmo. Mesmo descrevendo maravilhas naturais que para nós são tão temíveis, o salmista não demonstra medo. Segundo o teólogo Champlin, “Quando Deus exibe o Seu poder, contudo, isso também serve de consolo, e não apenas de ameaça, porquanto Ele é o Poder que nos faz ser o que somos, e nos conduz pelo caminho. O Deus da natureza é também o Deus da história, e o Deus de todos os homens”. Por isso Davi já começa o salmo conclamando os anjos a darem glória ao Senhor. Ele entendia que todos os eventos naturais eram, na verdade, demonstrações do Seu poder. E este poder é ilustrado por Davi como sendo um trovão, o qual denomina como “a voz” (Jó 37.4). É interessante observarmos que da mesma forma como essa voz é associada a uma força destruidora e temível, ela também é usada, por meio da pessoa de Jesus Cristo, para cessar uma violenta tempestade (Mt 8.26-27). O mesmo poder que Deus Pai tem sobre a natureza é inerente a Deus Filho. Esse é o nosso Deus, Criador dos céus e da terra e Senhor de tudo (Sl 19.1).

Será que realmente cremos no Deus Todo-Poderoso ou cremos em um deus que está limitado ao que os nossos conhecimentos científicos podem descrever e explicar? Observe algum aspecto ou fenômeno da natureza, então contemple a glória de Deus manifestada por meio dele. Você verá que o louvor brotará espontaneamente em você!

 

 

 

O texto acima foi extraído do Diário de Hora Silenciosa Jovem. Para adquirí-lo, clique aqui .

 

 

 

voltar para o índice