Inspiração 4 


AS RÃS E O PINTASSILGO








THEODORE ROSZAK

Num lugar não muito distante daqui, havia um poço fundo e escuro, onde se estabelecera uma sociedade de rãs. Tão fundo era o poço, que nenhuma delas jamais visitara o mundo de fora, e até acreditavam que não havia mundo fora.

O poço era o seu Universo. Havia sobejas evidências científicas para comprovar esta idéia; só um louco afirmaria o contrário.Certo dia, porém, voando por ali um pintassilgo, viu o poço, e resolveu investigar suas profundezas. Qual não foi sua surpresa ao descobrir as rãs! Mais perplexas ficaram estas, pois a criatura de penas colocava em questão todas as verdades já sedimentadas em sua sociedade.

O pintassilgo, com pena das criaturas, pôs-se a cantar. Cantou sobre a brisa suave, os campos verdes, matas, cachoeiras, animais, vida. A princípio gostaram, mas logo as opiniões se dividiram: algumas acreditaram, e começaram a sonhar com o outro mundo - ficaram mais alegres e bonitas - outras, fecharam a cara - heresia, absurdo, afirmações não confirmadas não deveriam ser dignas de crédito! Passaram a fazer as críticas de seu discurso: a serviço de quem estaria? Seu cântico seria narcótico? Ele era louco, ou enganador? A única dúvida que não existia é que aquele canto criara muitos problemas. Então, na próxima visita do pintassilgo, prenderam-no, e condenaram-no à morte!



voltar para o índice